O DEUS DE TODA PROVISÃO

ELIENAI CABRAL | Não há crises em que Deus não possa interferir e mudar a situação! Ele é o Deus de toda provisão. A Bíblia narra histórias de homens e mulheres que enfrentaram crises físicas, materiais, morais e espirituais, porém foram alcançados pela providência divina, que interferiu nessas situações e as transformou em vitórias espirituais…

EU SEI QUE DÓI

SAMUEL MARIANO | Às vezes é necessário doer para termos noção exata do tamanho do amor e cuidado de Deus para cada um de nós. Música profundamente tocante…

AS CIÊNCIAS DAS RELIGIÕES

GIOVANNI FILORAMO & CARLO PRANDI | Hoje assistimos, nas mais diferentes disciplinas, a um processo crescente de especialização, resultado da fragmentação da pesquisa, impensável há poucos anos. Para contrabalançar esse movimento centrífugo, fez-se presente a exigência de estudos que reproponham o problema do sentido e da globalidade dos processos de pesquisa, que formam, com suas especializações e seus métodos, os diferentes campos disciplinares…

TRATAMENTO GRATUITO A PESSOAS COM DEPRESSÃO EM CURITIBA

GAZETA DO POVO | O estudo com a Ketamina (escetamina) está sendo realizado em centros de pesquisa ao redor do mundo, além de Curitiba, e tem como objetivo tratar pessoas portadoras de depressão refratária

Pacientes que fazem tratamentos para a depressão e não percebem o alívio completo dos sintomas podem ter chance de melhorar graças a um novo medicamento produzido a partir da Ketamina. Para isso, os interessados devem procurar o Centro de Pesquisas Trial Tech, em Curitiba, que realizará testes com a substância para verificar possíveis impactos e benefícios à população. A participação no estudo é gratuita e o tempo de duração pode variar de acordo com a resposta do paciente. Em média, o tratamento leva um ano.

O estudo com a Ketamina (escetamina) está sendo realizado em centros de pesquisa ao redor do mundo, além de Curitiba, e tem como objetivo tratar pessoas portadoras de depressão refratária. O distúrbio ocorre em 30% dos pacientes que já realizam tratamentos para a depressão.

No mundo todo, mais de 121 milhões de pessoas sofrem com a doença e, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2030 a depressão poderá ser a patologia mais comum no planeta.

Bastante utilizado em procedimentos anestésicos, o composto químico Ketamina tem apresentado evidências de boa resposta e segurança no tratamento de quadros depressivos refratários em estudos iniciais. “A Ketamina é bem diferente dos antidepressivos convencionais. Ela melhora a transmissão das redes neuronais de uma das principais substâncias excitatórias do cérebro, o glutamato. É como se ela fosse um dispositivo que tornasse mais estáveis as conexões de uma rede de energia”, explica Luiz Fernando Petry, psiquiatra e um dos especialistas à frente do estudo conduzido pela Trial Tech. Durante o tratamento, o remédio é aplicado via intra-nasal, ou seja, através de spray nas narinas. Desse modo, a substância é melhor absorvida pelo organismo.

A pesquisa foi iniciada em agosto do ano passado e atualmente está na fase 3, em que a medicação já tem eficácia comprovada e passou por um estudo de segurança. Agora, os testes servirão para validar estatisticamente o tratamento com a substância.

De acordo com o especialista, muitos pacientes têm mostrado respostas drasticamente rápidas ao tratamento. “Alguns pacientes deprimidos há anos tiveram uma melhora considerável em poucas semanas”, diz Petry.

Para saber mais sobre a pesquisa e como participar, é necessário entrar em contato com a Trial Tech pelos telefones (41) 3013-1235 e (41) 9206-1583, pela página da empresa no Facebook ou no email contato@trialtech.com.br.

INICIAÇÃO À TEOLOGIA

STANLEY GRENZ & ROGER OLSON | Ao mesmo tempo em que os cristãos têm o desejo de compreender mais profundamente Deus e seus caminhos, boa parte deles nutre certo preconceito em relação à teologia. Muitos a consideram tema distante, restrito aos meios intelectuais e sem nenhuma aplicação à vida prática. No entanto, ela é essencial para a vida e a saúde da Igreja. Afinal, a teologia pode ser definida, de forma simples, como o conhecimento de Deus.

PSIC. NEIR MOREIRA

AGENDAMENTO: 99142-3639 | Psicoterapia individual, conjugal e familiar. Atendimentos às quintas e aos sábados.

REFORMALATRIA: 4 PERIGOS A EVITAR PARA NÃO IDOLATRAR A REFORMA PROTESTANTE

ULTIMATO | “Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência, e que não podes sofrer os maus; e puseste à prova os que dizem ser apóstolos, e o não são, e tu os achaste mentirosos. E sofreste, e tens paciência; e trabalhaste pelo meu nome, e não te cansaste. Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres” (Ap 2.2-5).

O teólogo francês João Calvino gostava de ensinar, com sólida base bíblica, que o coração do homem é uma fábrica de ídolos. Sempre que o nosso coração se distancia milímetros de seu apego a Cristo, inevitável e imediatamente ele fabrica uma incontável multidão de deuses que desejam lutar dentro dele por cada nicho e cada altar, eclipsando assim a figura de Jesus Cristo. Uma data tão auspiciosa como a abertura das comemorações dos 500 anos dos inícios da Reforma Protestante, pode e seguramente, nos oferece a ocasião para grosseira idolatria.

Há mesmo quem esteja até festejando o fato de o Papa Francisco participar dessas comemorações na Suécia ou ainda sinta-se valorizado e reconhecido porque um grupo de peregrinos luteranos foi recebido com uma imagem de Lutero na Sala de audiências Paulo VI no Vaticano um dia desses.

1. NÃO HAVIA CRISTIANISMO, IGREJA E EVANGELHO NO MUNDO ANTES DA REFORMA?

Entretanto, quais são os reais perigos de uma ‘Reformalatria’? O primeiro deles me parece ser ainda aquele de pensar que antes de 31 de outubro de 1517 não havia cristianismo, igreja e evangelho no mundo. Acreditar que do capítulo final de Atos 28 até os dias de Lutero a obra de Deus permaneceu numa espécie de animação suspensa e a história da igreja não passa de uma tragédia religiosa repletas de hereges e ofensas dirigidas a Deus em forma de culto. Na verdade, a Reforma aconteceu porque esses e outros erros existiam mesmo. Mas existiam não num vácuo, mas na dinâmica da vida da igreja estabelecida que durante a sua história produziu, pela graça de Deus, homens e obras extraordinários e a Reforma apenas intentou, vinda do mesmo Deus, corrigir tais erros. Mesmo porque, os Reformadores eram homens que viviam dentro daquela igreja histórica.

2. OS REFORMADORES FORAM USADOS POR DEUS, MAS ELES NÃO INVENTARAM A RODA

O segundo perigo é o da canonização dos Reformadores. Pensar e acreditar que eram todos perfeitos, homens que viviam em virtudes extraordinárias, quase super-humanos. Atribuir a eles inerrância e infalibilidade porque chegaram a algumas posições e interpretações bíblicas ou doutrinárias, faz-nos incorrer no mesmo crime e erros daqueles que invocam a Tradição ou o magistério Papal como autoridade equivalente às Escrituras. Isso também é idolatria. Não restam dúvidas, nossos Reformadores foram usados por Deus como instrumentos para o início e a continuação e sistematização da Reforma e muitas de suas contribuições são perenes. Mas eles não inventaram a roda, talvez, no máximo a descobriram e melhoraram o seu uso.

3. O TIPO DE LITURGIA DO TEMPO DA REFORMA NÃO É O ÚNICO ACEITÁVEL POR DEUS

Um terceiro perigo é o de se desejar repetir acrítica e anacronicamente o estilo de culto, o tipo da liturgia, cantos e usos e costumes da igreja dos séculos 16, 17 e 18, como os únicos aceitáveis por Deus e os únicos capazes de dar à Igreja uma identidade cristã. É um erro pensar que devemos pregar usando de maneira absoluta os mesmos métodos e conceitos de comunicação e transmissão de conteúdos desde o púlpito ou a mesma didática da época para a catequese (o conteúdo, esse sim, perene). Também é um erro pensar numa forma única de estética para o templo e a própria ação litúrgica. Evidentemente que os elementos de culto empregados pelos reformadores são indeléveis e inegociáveis, mas não porque fossem por eles estabelecidos, mas porque são Bíblicos e se encontram presentes nos dois cânones das Escrituras e foram firmemente estabelecidos por Deus.

4. SÓ UMA VOLTA RADICAL AO PASSADO GLORIOSO DOS REFORMADORES PODE NOS SALVAR?

Uma quarta sedução à idolatria é concluir que em nossos dias não existam contribuições válidas para a igreja e que tudo se encontra tão perdido e corrompido que só uma volta radical ao passado glorioso de nossos heróis pode nos salvar. Além de pretencioso esse pensamento é ingênuo, para não dizer infantil. Os nossos dias trazem consigo não só inúmeras e inimagináveis oportunidades, como também ferramentas maravilhosas, um acúmulo de conhecimento sistematizado que os Reformadores jamais sonharam possuir. Pesquisas científicas avançadas nas áreas da história, arqueologia, línguas antigas, antropologia cultural e etc., nos fazem penetrar com muito mais profundidade as maravilhas da Bíblia. Novas Universidades, novos e equipados seminários, a enorme profusão de editoras e novos autores, teólogos e pesquisadores nos enchem de esperança quanto ao futuro da Igreja.

Mas, nenhuma idolatria é mais perigosa do que esquecer que Cristo é o Senhor e Cabeça da Igreja. Que Ele é o mais interessado em sua eterna juventude, vitalidade, pureza e fidelidade. Que Ele mesmo é quem empodera essa igreja por meio do seu Espírito, que levanta, comissiona e envia homens, pecadores e frágeis, para continuar reformado e restaurando a vida da igreja até o dia em que Ele mesmo, em pessoa, virá buscá-la e a conduzirá para um tempo em que as Reformas já não serão necessárias e nem mesmo relembradas.

• Luiz Fernando dos Santos é ministro reformado na Igreja Presbiteriana Central de Itapira

SEMINÁRIO DE LIDERANÇA JOVEM

INSTITUTO NEIR MOREIRA | Com a presença confirmada dos professores Natanael Silva e Elton Alves Silva este evento acontece nesta sexta-feira (noite) e sábado (tarde) no Templo Sede da ADPV. Corra e reserve sua inscrição. Fale com a irmã Saiomara: 99131-8550 (Whats). Imperdível para quem tem chamado à liderança, ou seja, chamado a servir!